segunda-feira, abril 25, 2016

São Francisco vence Cametá e leva Taça Estado do Pará

Um jogo histórico para o oeste do Pará. O São Francisco venceu o Cametá por 3 a 0, no estádio Colosso do Tapajós, e conquistou a Taça Estado do Pará, que equivale ao segundo turno do Campeonato Paraense de Futebol 2016. Os gols foram marcados por Juninho, Elielton e pelo goleiro Paulo Rafael. A noite deste dia 24 entrou para a história de Santarém. É a segunda vez que um time do oeste do Pará vence um turno do Parazão. O São Raimundo já foi campeão da Taça Estado do Pará, em 2009.

Com a vitória, o Leão santareno se credenciou para disputar a final do Parazão 2016 contra o Paysandu, em Belém, no dia 8 de maio. Também sacramentou uma vaga na Série D do Campeonato Brasileiro para seu maior rival, o São Raimundo.

O apito da partida foi do árbitro Benedito Pinto da Silva, auxiliado por Heronildo Sebastião Freitas da Silva e Silvério Ferreira Pinto. O quarto árbitro foi o santareno Odonaldo Antonio Alho. O jogo foi bastante movimentado, recheado de jogadas bonitas e disputas acirradas de bola de ambos os lados.

O São Francisco iniciou pressionando o adversário, que jogava mais cauteloso. O leão santareno apresentava melhor toque de bola e uma defesa segura, que cortava os contra-ataques dos cametaenses. Aos sete minutos, Robinho cobra falta e Preto Bacarena cabeceia a bola para o gol do São Francisco, mas o goleiro Paulo Rafael defende com segurança. A resposta do Leão santareno veio logo aos 11 minutos. O atacante Balotelli chutou forte da ponta direita, exigindo uma difícil defesa do goleiro Evandro do Cametá.

Com domínio de bola, o Leão santareno mostrava superioridade e equilíbrio. Elielton chegava fácil à grande área do goleiro Evandro. O meia Samuel construía grandes jogadas levando perigo ao gol do Mapará, que por sua vez viu-se prejudicado com a saída do lateral-esquerdo Sousa, que saiu de campo após sentir uma lesão. 

quarta-feira, abril 06, 2016

Governo desapropria área para instalação do Distrito Industrial de Santarém

Decreto publicado no Diário Oficial do Estado do último dia 4 de abril desapropria, em favor do Estado do Pará, uma área de 250 hectares no município de Santarém, no Baixo Amazonas, visando à criação e implantação do Distrito Industrial local. O terreno fica situado na entrada do quilômetro 11 da Rodovia PA-370, também conhecida como Santarém-Curuá-Una, rodovia estadual que liga o centro urbano da cidade de à usina Hidrelétrica Curuá-Una.

Segundo o presidente da Associação Comercial e Empresarial de Santarém, César Ramalheiro, a expectativa para a criação do Distrito Industrial é a melhor possível, pois trata-se de um sonho antigo da população. “Certamente será um divisor de águas para a região, pois vai possibilitar a verticalização do processo produtivo e considerável aumento de emprego e renda”, diz.

O objetivo é fomentar novos investimentos, trazendo benefícios à economia por meio da agregação de valor à cadeia produtiva e, em especial, da oferta de empregos, considerando que a instalação do Distrito Industrial em Santarém é uma forma de fomentar o processo de crescimento econômico do Estado e constitui um importante instrumento para o desenvolvimento da região.

A Companhia de Desenvolvimento Econômico do Pará (Codec), que administra os distritos industriais do Estado, planeja um distrito no padrão dos melhores do país. A diretoria executiva da Codec fez uma série de visitas a distritos industriais e zonas de processamento de exportação nos Estados de Minas Gerais (Codemig), Ceará (Porto do Pecém) e Piauí (Parnaíba), para extrair exemplos de boas práticas que influenciam no processo de planejamento do novo distrito industrial paraense. 

terça-feira, abril 05, 2016

Parque Tapajós vai fomentar produção de conhecimento e tecnologia no oeste do Pará

Eron Bezerra visitou laboratórios da Ufopa ao lado de Alex Fiúza.
Foto: Alailson Muniz
Um dos maiores desafios do Parque de Ciência e Tecnologia do Tapajós será transformar o conhecimento sobre a biodiversidade amazônica em riqueza concreta: geração de renda, empregos e desenvolvimento econômico. A leitura é feita pelo secretário de Inovação do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Eron Bezerra. Ele está em Santarém para discutir as diretrizes de implantação do Parque Tecnológico do Tapajós dentro da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa).

Na tarde desta segunda-feira, Eron Bezerra reuniu-se com Alex Fiúza de Mello, titular da Secretaria de Estado de Ciência de Tecnologia (Sectec), com a professora doutora Raimunda Monteiro, reitora da Ufopa, e com vários professores e pesquisadores da instituição de ensino superior.

A visita do representante do MCTI é fruto de um convite do secretário Alex Fiúza. Após algumas horas de reunião, Eron Bezerra conheceu o local onde será implantado o Parque Tecnológico do Tapajós e visitou alguns laboratórios que já estão em pleno funcionamento. Ele informou que o Parque será um dos três que o Governo Federal pretende implantar na Amazônia ainda este ano.

“A minha secretaria tem como objetivo a coordenação e estímulo dos Parques Tecnológicos no Brasil. Temos hoje cerca de 90. Lamentavelmente, muitos concentrados no Sul e Sudeste do país. Quero inverter isso. Tanto que esse ano vamos articular três Parques na Amazônia: um no Acre, outro em Manaus e o terceiro em Santarém”, informou Bezerra.

O secretário ficou satisfeito com o que viu em Santarém e disse que desenvolver tecnologia sobre a biodiversidade amazônica é um desafio. Ele ressaltou que a estrutura física está bem adiantada e que vai possibilitar que a maior parte dos investimentos sejam direcionados para outros eixos, como bolsas de pesquisas e compras de equipamentos.

“Agradou-me muito o que eu vi. Corresponde à ideia que eu tenho de Parque, estamos redesenhando esse projeto. Na visão geral, o Parque é um prédio com um monte de empresas incubadas dentro, mas não é só isso. Tem que ser principalmente um ambiente de conhecimento, de produção de conhecimento, ter equipamentos e ter inteligência humana capaz de responder aos desafios que a sociedade impõe. Desenvolver tecnologia na área da biodiversidade amazônica é um grande desafio. Como transformar essa biodiversidade em riqueza material concreta para gerar emprego, educação e desenvolvimento para nossa região?”, questionou Bezerra, acrescentando que já aportou recursos para este ano junto ao MCTI para a implantação do Parque da Ufopa. 

Escola Tecnológica de Santarém terá modelo pioneiro de educação profissional

Alex Fiúza foi recebido por Alexandre Von e outras autoridades.
Foto: Alailson MUniz
Um modelo pioneiro, que agregue formação profissional de qualidade às necessidades do setor produtivo da região oeste do Pará. Essa será a fórmula do modelo de gestão adotado pela Escola Tecnológica de Santarém, que deve ser inaugurada ainda este ano. A informação é do secretário Alex Fiúza de Mello, titular da Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia (Sectec), que reuniu-se na manhã desta segunda-feira (4), em Santarém, com o prefeito Alexandre Von e entidades ligadas ao setor produtivo do município.

“Nos reunimos para pensar a fórmula de gestão da nova escola tecnológica, que será inaugurada em breve em Santarém e que deverá ter uma política de melhor qualificação em oferta e demanda de cursos. Será um trabalho de construção coletiva. A Sectec será responsável pelo modelo de gestão da escola, que será diferente do tradicional. Terá mais flexibilidade, mais capacidade de inovação e de maior abertura ao setor produtivo, para formar pessoal destinado às áreas de necessidades que o setor regional tem”, explicou Alex Fiúza.

Participaram da reunião Olavo das Neves, presidente da Companhia Desenvolvimento Econômico do Pará (Codec); o prefeito Alexandre Von; a secretária municipal de Planejamento Rosemary Fonseca; César Ramalheiro, presidente da Associação Comercial e Empresarial de Santarém e Alberto Oliveira, presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Santarém.

O prédio onde a escola será instalada já está pronto. Ele está localizado no cruzamento das rodovias estaduais Fernando Guilhon e Everaldo Martins. A primeira liga Santarém ao aeroporto municipal e a segunda à vila balneária de Alter do Chão. 

segunda-feira, março 14, 2016

Aos 70 anos, clássico “Rai-Fran” pode ser declarado patrimônio cultural e imaterial de Santarém

O maior clássico do interior da Amazônia poderá ser declarado patrimônio cultural, histórico e imaterial do município de Santarém. Projeto de Lei neste sentido foi apresentado na Câmara Municipal de Santarém pelo vereador Dayan Serique (PPS) na manhã desta segunda-feira, 14. O clássico entre os clubes São Raimundo e São Francisco possui uma história de 70 anos na mente lúcida do torcedor santareno. Os dois maiores rivais do futebol santareno também são campeões de público e fazem bonito quando participam de competições estaduais e nacionais.
Para engrandecer ainda mais e eternizar essa bonita história do nosso futebol, o vereador Dayan Serique propôs o referido dispositivo legal que será apreciado pelas Comissões do Legislativo Municipal antes de ser colocado em votação no plenário.
Dayan Serique: Projeto de Lei
“É uma homenagem aos dois maiores clubes do interior da Amazônia que há décadas nos proporcionam uma bela manifestação cultural dentro do esporte. Protagonistas de grandes episódios do nosso futebol. Quem nunca ouvir falar no Rai-Fran? Essa história precisa ser valorizada e eternizada. As torcidas merecem. É uma manifestação do torcedor santareno que merece o reconhecimento legal. Apresentamos o Projeto de Lei que seguirá o rito desta Casa [Câmara Municipal] e, posteriormente, depois de aprovado, será enviado ao Poder Executivo para apreciação e sanção”, explicou Serique.

O primeiro confronto registrado que se tem notícia entre os dois clubes data do dia 22 de abril de 1946. O palco foi o então campo do “Poeirão”, onde hoje está localizado o Colégio Batista Sóstenes Pereira de Barros. 

terça-feira, março 08, 2016

José Maria Tapajós lança sua pré-candidatura à Prefeitura de Santarém



Tapajós: no páreo.
Ex-vereador, ex-prefeito e empresário, José Maria Tapajós, 60 anos, lança nesta quinta-feira, 10, sua pré-candidatura à Prefeitura de Santarém. Quadro histórico do PMDB local, Tapajós concorre dessa vez pelo PR. Sigla que ingressou recentemente.

A pré-candidatura de José Maria Tapajós receberá a benção da direção estadual do PR que participará da cerimônia na Câmara Municipal de Santarém. Na oportunidade, também será oficializada a filiação do seu filho, Junior Tapajós que se elegeu vereador pelo PMDB.

“Vou lançar [pré-candidatura] nesta quinta-feira e você está convidado”, disse Tapajós ao Blog do Alailson com exclusividade, nesta manhã, durante a Sessão especial da Câmara em Homenagem ao Dia Internacional da Mulher.

Na condição de presidente do legislativo municipal, cargo que assumiu 4 vezes, Tapajós foi prefeito de Santarém, por seis meses, em 2009, quando a então prefeita Maria do Carmo foi afastada do cargo pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

quarta-feira, fevereiro 24, 2016

Troca de partido pode atingir 40% do Legislativo em Santarém

No Blog do jornalista Jeso Carneiro:



Chegou a hora. Aberta a chamada “janela eleitoral”, políticos de todo Brasil terão um mês para trocar de sigla sem cair na degola da infidelidade partidária.

O direito decorre de uma emenda à Constituição (PEC) que foi promulgada na última quinta-feira (18) pelo Congresso Nacional. O prazo se estende até o próximo dia 18 de março.

De olho nessa janela, muitos parlamentares santarenos almejam trocar de partido, visando as eleições de outubro deste ano.

O impacto da dança das cadeiras pode atingir 40% das cadeiras do Palácio Tapajós. Dos 21 vereadores, pelo menos 9 cogitam mudanças. Alguns expressam abertamente e outros preferem manter no sigilo a intenção. Vamos aos nomes e pretensas novas casas.

O veterano Emir Aguiar dá como certa sua saída do PR, mas ainda não sabe qual sigla deve ingressar. “Estou avaliando o cenário, mas pode colocar que vou mudar de partido”, disse Aguiar, que interessa ao PSB, PSC, PDT e PT.

Ronan Liberal Junior, que possui cadeira pelo PMDB, também cogita sua saída sem ainda direcionar o destino. Ele faz uma avaliação interna das possíveis candidaturas de seu atual partido. Ronan interessa ao PSB, PTdoB, PDT e PT.

Colega de partido, Junior Tapajós não pretende deixar o PMDB, mas recebe pressão familiar para se filiar ao PR, caso o quadro de candidaturas internas não seja favorável.

O vereador Silvio Neto poderá deixar o PSD se pegar a presidência de algum partido emergente. A direção local do PTB, inclusive, já reclamou de movimentações do deputado Junior Ferrari nesse sentido. Silvio Neto nega e diz que não existe essa possibilidade.

Marcela Tolentino é pré-candidata à Prefeitura de Santarém

Marcela Tolentino: pré-candidata.
Detentora de três mandatos no legislativo santareno, a vereadora Marcela Tolentino (SDD) acaba de anunciar que é pré-candidata à Prefeitura de Santarém. Segundo a parlamentar, a decisão foi tomada pela cúpula do seu partido em Belém.

Tolentino foi candidata ao Senado, nas eleições passada, pelo mesmo Solidariedade.

“Foi uma decisão tomada em conjunto. Acatei e quero contribuir para o desenvolvimento de nossa cidade”, disse Tolentino.


A decisão tem o aval do seu atual padrinho político da vereadora, deputado federal Wladimir Costa.

quinta-feira, fevereiro 11, 2016

Mangueira sagra-se campeã com Maria Bethânia

A Mangueira venceu o carnaval carioca pela 18ª vez com 269,8 pontos. A verde-e-rosa homenageou a cantora Maria Bethânia, que já passou pelo sambódromo uma vez, quando a escola fez desfile sobre os Doces Bárbaros em 1994. Em segundo lugar ficou a Unidos da Tijuca, com 269,7 pontos. A Estácio de Sá, que voltou ao carnaval da elite neste ano, foi rebaixada com 265 pontos. A escola exaltou São Jorge na avenida.

Na busca pelo título do Grupo Especial, que havia sido conquistado pela última vez em 2002, a Mangueira celebrou os 50 anos de carreira da cantora baiana, fechando a noite com um desfile de luxo e sofisticação, além da presença de muitos artistas. Já o enredo da Unidos da Tijuca foi “Semeando sorriso, a Tijuca festeja o solo sagrado”.

A quadra da verde e rosa, na Zona Norte do Rio, já estava cheia, mas ficou completamente lotada conforme o título se aproximou. Lá estava o carnavalesco Leandro Vieira. “Desconfiaram muito de mim, mas eu me empenhei para comemorar hoje”, disse o carnavalesco. O presidente Chiquinho da Mangueira já havia destacado para o G1, antes do início da apuração, o trabalho do novo carnavalesco, Leandro Vieira, do coreógrafo da comissão de frente, Junior Scarpin, e do mestre de bateria, Rodrigo Explosão. “ A gente acreditou em um novo carnavalesco que foi muito competente, veio do Grupo de Acesso. A Mangueira juntou a juventude com a tradição, respeitando a comunidade”, disse Chiquinho.

O presidente citou ainda uma outra tradição da escola que, pra ele, também deu sorte esse ano. “Toda vez Que a Mangueira é a última de segunda-feira, ela faz um bom desfile. Quem torce pra Mangueira fica até o final e, quem não torce, também fica esperando pra ver  o que a escola vai fazer”, explicou. 

quarta-feira, fevereiro 10, 2016

Bloco das Virgens arrasta 30 mil foliões e encerra Carnaupaxis em Óbidos

Com um público de 30 mil pessoas, o irreverente bloco das Virgens encerrou na noite de ontem, 9, o Carnapauxis 2016, em Óbidos, no oeste paraense. Foram sete dias de muita folia. O evento teve apoio da Polícia Militar, Polícia Civil, Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Marinha e Corpo de Bombeiros. “Tivemos um carnaval tranquilo e sem ocorrências graves. Tudo dentro da normalidade”, avaliou o tenente Arthur Vasconcelos, da PM.

A coordenação da festa estima que mais de 150 mil pessoas circularam pelo Carnapauxis 2016. “Foram sete dias de festa. Tivemos dois dias de muita gente cerca de 30 e 40 mil pessoas. Ao todo, acreditamos que mais de 150 mil pessoas brincaram conosco o Carnapauxis 2016. Agora é trabalhar para o sucesso do evento para o próximo ano”, disse Sandro Silva, secretário de Cultura de Óbidos, que coordenou o evento carnavalesco.

No Carnaval, Óbidos fica tomada por turistas de vários municípios e estados. A empresária Chyntia Soares, de Curitiba, era só alegria ainda na concentração do bloco das Virgens. Ela contou que ficou sabendo da festa por meio de uma amiga que postava fotos da festa nas redes sociais. “Vi a beleza e grandeza de tudo isso e senti vontade de participar. Conversei com ela, peguei algumas informações e hoje estou aqui pulando carnaval na Amazônia”, disse satisfeita a empresária que ainda trouxe outras duas amigas. 

terça-feira, fevereiro 09, 2016

‘Unidos do Morro’ leva 20 mil pessoas às ruas de Óbidos

Fobós são a identidade da festa em Óbidos.
Uma brincadeira de amigos durante a quadra carnavalesca deu origem, em 1997, a um dos mais tradicionais blocos de carnaval de Óbidos, o Unidos do Morro, que na noite desta segunda-feira, 9, arrastou mais de 20 mil foliões pelas rua do município durante o Carnapauxis.

Conhecido por ser o bloco que reúne a maior quantidade de Mascarados Fobó, o Unidos do Morro leva para as ruas dois trios elétricos e oito alas de foliões, incluindo os macarados Fobós. Na sede do bloco, o presidente Nonato Santarém faz todos os anos o mesmo ritual de organização. “É uma responsabilidade enorme, mas que desempenhamos com amor e muito respeito”, afirma o coordenador, que está à frente do bloco desde 1998.

O Unidos do Morro congrega pessoas de todas as idades, que se caracterizam de mascarados e saem às ruas munidos de maisena e de uma bexiga feita da seringueira, com as quais costumam meter medo nas crianças.

Um dos destaques do bloco está na ala das fantasias de luxo. Dona Valdeci Socorro Costa, de 48 anos, vem todos os anos de São Paulo para participar do arrastão do Unidos do Morro. Ela é obidense, mas mora no sudeste do País há 31 anos e é responsável pelo toque de glamour do Carnapauxis. Por conta de uma parceria com a escola de samba paulistana “Vai Vai”, ela consegue doações de fantasias usadas no carnaval. As doações  são trazidas para Óbidos e usadas pelos foliões da ala de Luxo.

segunda-feira, fevereiro 08, 2016

Carnapauxis 2016 promete arrastar 150 mil brincantes pelas ruas de Óbidos

O carnaval de Óbidos, no oeste paraense, vem se consolidando como um dos mais tradicionais do Pará. A edição do Carnapauxis 2016 deve movimentar um público de 150 mil brincantes durante os sete dias da programação. Entre os foliões, um número cada vez maior de turistas oriundos de outras cidades e até de outros estados. A tradição ganha forma na figura do Mascarado Fobó, personagem típico do carnaval obidense conhecido por sua indumentária, que inclui o capacete colorido, a máscara, a bexiga de boi, o 'dominó' (espécie de macacão florido) e a maisena, usada na "batalha do pó", que acontece entre os brincantes dos blocos.

O carnaval de rua é animado pelos blocos tradicionais de Óbidos. Todos os dias um deles desce as ruas da cidade arrastando multidões. O destino final é o Fobódromo, onde a folia acontece até a terça-feira gorda, dia 9. Já na chegada à cidade, os visitantes que vem por via fluvial são recepcionados pelos Mascarados Fobó. “É o melhor carnaval do oeste paraense. Aqui tem muita alegria, criatividade, diversão e originalidade”, atesta Brenda Marques, 42 anos, turista de Manaus (AM).

No sábado, 6, a folia ficou por conta do Bloco Águia Negra, que comandou o arrastão pelas ruas da cidade. No domingo, 7, o Bloco Xupa Osso, ‘apelido’ dado a quem nasce em Óbidos, foi a grande atração. “Quem nasce em Santarém é chamado de 'mocorongo', quem nasce em Oriximiná, é conhecido por 'espoca bode', e assim, para cada cidade daqui do oeste paraense existe uma denominação”, explica o professor Dayan Serique.

O percurso feito pelo Xupa Osso incluiu a Praça Barão do Rio Branco, as ruas Eloy Simões, Justo Chermont, Bom Jesus, travessa Lauro Sodré, avenidas Picanço Diniz, Nelson Souza, Pedro Álvares Cabral, retornando pelas travessas Lauro Sodré, Bom Jesus e rua Justo Chermont, com chegada no Fobódromo.

“É um carnaval de rua bonito e gostoso de se brincar. A alegria da festa é temperada pela hospitalidade do obidense e também pela segurança, que é um fat.or essencial para que as pessoas possam se divertir com tranquilidade”, garante a secretária administrativa Ágata Pereira, 24 anos, que veio de Santarém participar do Carnapauxis.

A cidade de Óbidos nunca teve um carnaval violento. Mesmo assim o governo do Estado aumentou o efetivo das polícias Civil e Militar no município e planejou ações para garantir a segurança dos foliões de rua. O comandante da PM em Óbidos, Tenente Arthur Vasconcelos, solicitou 50 homens para o reforço do policiamento no município, além do apoio do Grupo Tático Operacional. 

quinta-feira, fevereiro 04, 2016

São Francisco domina Remo no toque de bola e vence na estreia

Remo pouco atacou. São Francisco aproveitou.
Foto: Blog do Alailson
Um jogo de 45 minutos. Assim pode ser resumido o confronto entre São Francisco e Clube do Remo, pelo Parazão 2016, no Colosso do Tapajós, nesta noite de quarta-feira (3), em Santarém. Após um primeiro tempo monótono e sem grandes lances, o clube do oeste paraense fez o único gol da partida na segunda etapa com o atacante Buiú e ficou com os três pontos com o placar mínimo de 1 a 0.

Quase seis mil torcedores foram ao estádio assistir o duelo entre os dois leões. O jogo iniciou às 20h40min numa noite fria na Pérola do Tapajós. Frio também foi o primeiro tempo entre as duas equipes, que não criaram grandes lances, mesmo o Remo se movimentando bastante, mas sem criar chances de gol. O atacante Ciro foi totalmente apagado enquanto que Eduardo Ramos era constantemente desarmado pelo zagueiro Perema. O São Francisco ainda teve uma chance clara de gol aos 22 minutos com o atacante Ricardinho, mas o goleiro remista salvou e mandou a bola para a linha de fundo.

Após o intervalo, os dois times voltaram com alterações. No Remo, Léo Paraíba entrou no lugar de João Victor para deixar o Remo mais ofensivo. Já Walter Lima tirou, aos 14 minutos, o atacante Ricardinho e colocou outro atacante, Elielton, que possui características semelhantes. A bola é bastante disputada no meio de campo, mas os lances de ataque dentro da grande área não acontecem. Os goleiros têm pouco trabalho, principalmente Paulo Rafael do São Francisco.

A defesa do Leão santareno continua firme e o meio de campo do Remo começa a apostar nas bolas lançadas dentro da grande área. Aos 20 minutos, Elielton mostra seu cartão de visitas e faz um gol após Fernando Henrique defender um chute de Juninho. Mas o juiz marca impedimento corretamente.

Em seguida, aos 23 minutos, Samuel rouba uma bola e avança. Guilherme recebe dentro da grande área e chuta em direção ao gol do Remo. Fernando Henrique faz a defesa, mas Buiú aproveita a sobra e manda para o fundo do gol, abrindo o placar no Colosso do Tapajós: 1x0. A torcida santarena foi ao delírio e comemorou bastante. 5.455 torcedores foram assistir a partida.

O restante do jogo foi de movimentações sem perigo por parte do Remo. O São Francisco ainda teve uma chance de gol com Elielton, mas o placar permanece o mesmo. O ataque remista permaneceu apagado sob a forte marcação da defesa franciscana. O arbitro Gustavo Ramos Melo encerrou o jogo aos 50 minutos. 

domingo, janeiro 31, 2016

Tapajós e São Raimundo empatam na abertura do Parazão 2016 em Santarém

 (Ag/Pará) - O torcedor santareno já estava com saudades, mas a espera foi bem recompensada. As equipes do Tapajós e do São Raimundo fizeram neste sábado (30) um jogo corrido, repleto de bons lances, sob o novo gramado do Colosso do Tapajós, na abertura do Campeonato Paraense de Futebol 2016, em Santarém, no oeste paraense. No final, a partida ficou no 2 a 2. Mauryan marcou os dois gols do Boto e Warderlam e Jeferson fizeram pelo Pantera no segundo tempo.

Foi a primeira vez que o campeonato começou no interior do Estado. O torcedor santareno não fez feio. Apesar da chuva, quase sete mil pessoas foram assistir à partida de estreia. Estavam presentes o presidente da Confederação Brasileira de Futebol, Antônio Carlos Nunes de Lima, que é paraense, e o chefe da Casa Civil, José Megale, que fez a entrega simbólica do novo gramado do Colosso do Tapajós, um investimento de R$ 1.069.320. Desse total, R$ 975 mil são oriundos do Ministério dos Esportes, por meio de emenda parlamentar do senador Flexa Ribeiro (PSDB). O Estado investiu R$ 94.320 como contrapartida.

“Dessa forma o governo valoriza o esporte e o interior do Estado, que sempre teve boas equipes e apresenta jogadores talentosos ao futebol paraense. O estádio já está com o gramado pronto e recebe a sequência da obra de ampliação”, disse José Megale.

O início de jogo deu sinal de que as duas equipes se prepararam para o campeonato. Os dois lados corriam muito e valorizaram as disputas pela bola. Uma leve chuva que começou a cair sobre Santarém deixou o gramado ainda mais veloz.

O Tapajós começou valorizando o toque de bola com velocidade e, aos sete minutos, perdeu a primeira chance de gol. Em seguida, o São Raimundo deu a resposta numa arrancada que obrigou o goleiro Jarder a fazer uma bela defesa. As investidas do Boto seguiam pelas laterais enquanto o Pantera diminuía a marcação para tentar surpreender nos contra-ataques.
O jogo continuou corrido e, aos 24 minutos do primeiro tempo, numa descida invertendo a posição pela lateral direita, o jogador do Tapajós Mauryan chutou cruzado para dentro da área do Pantera. O zagueiro Negueba faz gol contra ao tentar afastar. Foi o primeiro gol do Parazão 2016. Apesar do toque de Negueba, o árbitro da partida Andrey da Silva deu o gol para o lateral do Boto.
Após o gol, a equipe do Tapajós diminuiu o ritmo, e o treinador Caio César passou a chamar a atenção da equipe. Ele é auxiliar técnico da equipe, e substituiu o técnico Victor Hugo, que cumpre suspensão. O equilíbrio marcou os últimos 15 minutos, e as equipes foram para o intervalo com Tapajós à frente no placar.

No segundo tempo, São Raimundo voltou sem Negueba, que saiu para entrada de Renato. O Boto também mudou. Saiu Adriano Miranda para entrada de Rafael. O Pantera passou a usar mais seus laterais com jogadas de bola para dentro da área do Boto. A marcação também diminuiu, e o Tapajós não conseguiu oferecer perigo.

sexta-feira, janeiro 29, 2016

Governo entrega nova Unidade Integrada Pro Paz em Santarém

O município de Santarém, no oeste paraense, recebeu nesta sexta-feira (29) a terceira Unidade Integrada Pro Paz (UIPP), localizada na grande área do Santarenzinho, bairro Alvorada, Rua Sabiá. A entrega foi feita pelo chefe da Casa Civil, José Megale, pelo secretário de Segurança Pública, Jeannot Jansen, e pelo presidente do Pro Paz, Jorge Bintencourt. A solenidade também teve as presenças do delegado geral de Polícia Civil, Rilmar Firmino, além do prefeito da cidade, Alexandre Von, entre outros.


O investimento na obra de segurança pública foi de R$ 1.467.708,51, e R$107.761 investidos em material de informática e mobiliário. Santarém já tem uma UIPP no bairro Nova República e outra no distrito de Alter do Chão. “Podemos dizer que Santarém tem quatro UIPP, pois a quarta foi entregue em Mojuí dos Campos, que depois virou município e já nasceu equipado com a Unidade Integrada”, frisou o delegado Gilberto Aguiar, superintendente da Polícia Civil no Baixo Amazonas.

O prédio principal tem nove salas, que estão distribuídas para abrigar o comando de Polícia Militar, sala de monitoramento, mediação de conflitos, Pro Paz, sala do delegado, investigadores, escrivão, cartório, reconhecimento, sala de custódia e cinco banheiros, incluindo um adaptado para portadores de deficiência. A novidade é a instalação de um espaço para o Corpo de Bombeiros. O prédio anexo tem quatro alojamentos, dois para o uso de policiais civis e dois para os policiais militares, além da copa e cozinha e da sala de convivência para os policiais. Do lado de fora da UIPP há estacionamento de veículos e um auditório.

“Não é uma obra isolada. Ela faz parte do planejamento de segurança pública, que envolve a instalação de outras unidades e considera a situação deste local. Outras cidades do Baixo Amazonas estão recebendo também unidades semelhantes, como Terra Santa. As ações envolvem ainda o aumento dos efetivos das polícias Civil e Militar por meio do segundo concurso público que vamos fazer”, disse José Megale.

segunda-feira, janeiro 25, 2016

Equoterapia ajuda na recuperação de pessoas com deficiências em Santarém



O pequeno Gabriel durante as sessões. Foto: Alailson Muniz
 O sorriso estampado no rosto do pequeno Gabriel é a maior alegria da recente rotina da dona de casa Maria Irivete Silva. Duas vezes por semana, ela leva seu filho Gabriel Sousa da Silva, de 9 anos, às sessões de equoterapia do Centro Interdisciplinar de Equoterapia do Tapajós, em Santarém, no oeste paraense. O centro funciona anexo ao Destacamento de Cavalaria do 3º Batalhão de Polícia Militar do Pará, no bairro Maracanã. Fruto de um convênio entre Governo do estado e Prefeitura de Santarém, a utilização de cavalos com fins terapêuticos para desenvolver habilidades psicomotoras em pessoas com algum tipo de deficiência tem trazido resultados significantes e levado esperança a muitas famílias. 

A equoterapia é um método terapêutico que trabalha o psicológico e o físico ao mesmo tempo. Os principais ganhos são os motores e os psicológicos. “O projeto é uma oportunidade para meu filho e outras crianças melhorarem a questão motora, a fase do andar, o equilíbrio e a parte sensorial. Ele (Gabriel) está mais tranquilo, menos agitado, ele era muito agitado”, explica dona Maria Silva. 

A mãe de Gabriel explica que apesar do pouco tempo de tratamento já consegue perceber os avanços. “O tratamento ajuda na rotina de casa. Ele se organiza mais, no seu pensar e agir. Ele é muito impulsivo, quer fazer tudo rápido e acaba se desorganizando. Mas o tratamento está revertendo essa postura dele. Ele sabe o dia das sessões e fica ansioso. Hoje, ele não queria sair do carro, quando viu a colega e o cavalo ficou tranquilo e queria ir. Nas primeiras sessões tomava medicamento para se acalmar, agora faz sem medicamento. A equoterapia é importante para várias famílias. Outras crianças que estão há mais tempo tiveram grandes avanços”, acrescenta Maria Irivete.

Em Santarém, neste ano, 11 crianças e um adulto são atendidos. Os trabalhos da equipe são coordenados pelo tenente Marcos de Paula, que é fisioterapeuta. “A equoterapia é um método terapêutico e educacional, que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem multidisciplinar e interdisciplinar, nas áreas de saúde, educação e equitação, buscando o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com deficiências e/ou necessidades especiais”, explica o tenente.

domingo, janeiro 24, 2016

Prova do Corpo de Bombeiros registra 795 faltas em Santarém

Candidatos chegando ao Campus da Ufopa. Foto; Alailson Muniz
Em Santarém, no oeste paraense, 3.452 candidatos enfrentaram os mais de 32 graus de calor e fizeram a prova do concurso do Corpo de Bombeiros para ingresso nas carreiras de Praça e Oficial da corporação. A abstenção foi de 22%, o que corresponde à 795 candidatos que não compareceram aos locais de provas, que foram realizadas para candidatos a Praças, pela manhã, em cinco pontos da cidade. Pela tarde, 668 candidatos realizaram a prova para Oficial no Campus Tapajós da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa). Todo certame foi tomado pela tranquilidade em Santarém sem ocorrências graves.

“Tudo tranquilo sem ocorrências graves. O processo está dentro do previsto. Os candidatos só têm que se preocupar com o seu desempenho”, informa Joana Cunha Ribeiro, representante da Consulplan, empresa que realiza o concurso.

Pela manhã, o local com maior concentração de candidatos foi o Instituto Esperança de Ensino Superior (Iespes) com 1.057 candidatos presentes. Lá, a abstenção foi de 223 inscritos. Os outros quatro locais de provas foram os campus da Ufopa. No Campus Tapajós, dos 800 inscritos 661 estiveram presentes. No Campus Amazônia, anexo I, foram 639 candidatos realizando a prova. Faltaram 161. Neste local teve uma ocorrência na área de saúde. “Uma candidata teve um sangramento pelo nariz, mas foi atendida pela enfermeira de plantão e realizou a prova normalmente sem prejuízos de seu desempenho”, explicou Hailton Santos Oliveira, coordenador da prova no local.

No axeno II, no mesmo Campus Amazônia, 361 candidatos realizaram a prova dos 455 inscritos e que fariam prova no local. No Campus Rondon da Ufopa, dos 202 candidatos previstos para realizarem a prova 151 compareceram, segundo informou o coordenador Edilmar de Santana Quaresma.

sexta-feira, janeiro 22, 2016

MPF processa Unip por cobrança abusiva

 Declaração de matrícula, ementa de disciplina e histórico escolar são alguns dos documentos que a instituição cobra para emitir.

O Ministério Público Federal no Pará (MPF/PA) entrou na Justiça no início desta semana contra a Associação Unificada Paulista de Ensino Renovado, mantenedora da Universidade Paulista (Unip) no Estado, por cobrança de taxa abusiva para emissão de documentos de graduação e pós-graduação.

A ação, com pedido de liminar (urgente), pede que a faculdade seja obrigada a suspender imediatamente qualquer tipo de cobrança para emissão de documentos que são inerentes ao serviço prestado pelas instituições de ensino. Em caso de expedição de 2ª via, a cobrança deve se limitar ao valor do custo do serviço.

O MPF também pede que, em caso de condenação, a Unip divulgue amplamente a sentença nas redes sociais, nos murais da instituição e em jornal de circulação nas cidades do Estado.

Histórico - Antes de partir para esfera judicial, o MPF recomendou que a Unip suspendesse a cobrança abusiva de taxas. Em resposta, a instituição afirmou que a emissão de documentos de 1ª via é gratuita e encaminhou o valor das taxas para emissão de 2ª via.

Apesar da justificativa da faculdade, estudantes continuaram denunciando ao MPF a cobrança de taxas para emissão de 1ª via de documentos. Segundo relato recorrente, a instituição cobra R$ 20 para que os alunos tenham acesso ao conteúdo programático de cada disciplina.

quinta-feira, janeiro 21, 2016

Dayan Serique defende concessão da BR-163 até Santarém

Dayan Serique: respeito à Santarém.
O vereador Dayan Serique (PPS) participou na manhã desta quinta-feira, 21, em Itaituba, da audiência pública que discutiu o processo de concessão da rodovia federal Santarém-Cuiabá (BR-163). Na audiência, iniciativa da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Dayan Serique defende que a concessão seja estendida até o município de Santarém e não fique restrita ao distrito de Miritituba como planeja o Governo Federal.

Para o vereador, o Governo Federal não pode excluir Santarém do processo de desenvolvimento planejado para a região. “Produzimos energia, mas somos vítima da política de bandeiras tarifárias e ainda somos penalizados pela Lei Kandir. O Pará tem dado sua contribuição para o desenvolvimento do Brasil, mas o Brasil não tem dado o mesmo tratamento ao Pará”, disparou Serique.

O presidente da ANTT, Jorge Luiz Macedo Bastos, presente na audiência, ouviu de perto a cobrança do líder do PPS santareno. O parlamentar defende ainda que a população de Santarém seja incluída na discussão de todos os processos que envolvam a rodovia Santarém-Cuiabá.

“O Pará serve o Brasil, mas o Brasil não tem servido o Pará. Queremos uma audiência pública em Santarém e que esse processo de concessão seja estendido até a Pérola do Tapajós. Somos protagonistas da história da BR-163, vamos sofrer impactos e por isso merecemos respeito”, disse que Dayan Serique.

quarta-feira, janeiro 20, 2016

Tribunal anula sentença e demarcação da Terra Indígena Maró pode prosseguir

Reunida em sessão hoje (20/1) a 5ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região anulou a controversa sentença do juiz Airton Portela, de Santarém, que em 2014 declarou duas etnias indígenas como inexistentes. A turma, por unanimidade, deu ganho ao recurso do Ministério Público Federal e extinguiu, sem examinar o mérito, ação judicial que contestava a existência dos índios Borari e Arapium. Com a decisão a demarcação da Terra Indígena Maró poderá prosseguir normalmente.

A ação contra os Borari e Arapium foi iniciada por associações comunitárias, mas ficou provado durante o processo que as terras de todas as associações ficam fora da demarcação. A sentença de Portela ignorou o fato de que as próprias associações pediram desistência da ação judicial e foi publicada algumas semanas depois de uma operação de fiscalização realizada pelo MPF/PA, Fudação Nacional do Índio (Funai) e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), que embargou todas as permissões para exploração madeireira que incidiam sobre a terra indígena.

Há vários relatórios que comprovam a presença e o interesse de madeireiros na terra indígena, inclusive oferecendo máquinas e combustível para lideranças comunitárias em troca de apoio no processo contra os Borari e os Arapium. Durante os trabalhos de demarcação, a equipe da Funai chegou até a ser ameaçada de morte. A sentença anulada negava o reconhecimento da identidade étnica das comunidades que vivem na região do Arapiuns, em Santarém, com base em impropriedades científicas e distorção dos métodos antropológicos. Contra ela, o MPF apresentou pareceres e notas técnicas assinadas por antropólogos reconhecidos.

segunda-feira, dezembro 14, 2015

Criminoso confessa ser o autor da morte da subtenente da PM em Santarém

Neto da Faixa de Gaza: preso.
Foi preso na tarde desta segunda-feira, em Rurópolis, sudoeste paraense, Sebastião de Sousa Barbosa Neto. Apreendido por porte ilegal de drogas, o criminoso confessou ser o responsável pelos disparos que causaram a morte da subtenente da Polícia Militar Silvia Sousa, ocorrida na manhã de hoje, em Santarém.
De acordo com as informações do superintendente da Polícia Civil do Baixo Amazonas, delegado Gilberto Aguiar, Sebastião foi apreendido durante operação de rotina da Polícia Militar. Neto, inclusive, teria usado um nome falso no momento da abordagem da PM.

Após o assassinato cometido, o bandido teria seguido para o quilômetro 145 da BR Santarém- Cuiabá, sentido Rurópolis. Pouco antes, ainda em Santarém, escondeu, na casa de um traficante, a arma roubada da policial e a motocicleta usada no latrocínio. A polícia já apreendeu a motocicleta.

O criminoso teria sido identificado na troca de informações entre policiais de Santarém e de Rurópolis. Sebastião Barbosa já tem passagem pela polícia por crimes praticados em Santarém e Juruti, de onde é natural. Antes do latrocínio, juntamente com um comparsa, o criminoso assaltou um farmácia na cidade santarena. O assalto foi registrado pelo sistema de vídeo do estabelecimento, o que ajudou na identificação de Neto. Ainda pesa contra o homicida o incêndio de um carro da PM em Juruti.

A Polícia Civil ainda vai decidir sobre o destino do responsável pelo homicídio da subtenente, se ficará preso naquela região ou seguirá para Belém.

Neto da Faixa de Gaza, como é conhecido no Amazonas, é acusado de ter cometido 12 homicídios naquele estado. Já fugiu da cadeia pulando o muro com apoio de uma kombi e foi preso em 2014 em Terra Santa.

Mortes – A Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social esclarece que Polícia Civil registrou três mortes na manhã desta segunda-feira. Uma delas está relacionada a um homem que estava armado e reagiu no momento da abordagem dos policiais militares. Morreu na troca de tiros. As duas outras mortes ainda estão sendo investigadas.

segunda-feira, dezembro 07, 2015

Cadê o Priante?

No Repórter 70, de hoje:

CORRUPÇÃO
Distância?


Gozado como certas figuras políticas perdem o completo e total interesse pelo bem que sempre proporcionou a segurança e o conforto de um mandato. Veja-se o caso do deputado federal José Priante, do PMDB. Na prática, ele tomou chá de sumiço da região do Baixo Amazonas, desde que a Polícia Federal botou na cadeia seus indicados para a Superintendência do Incra. O que se diz é que Priante não quer ver nenhum deles nem pintado de ouro. Por que será? 

Semma flagra desmate ilegal próximo ao igarapé Sonrisal

Neste último fim de semana, agentes de fiscalização da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma) apreenderam uma motosserra que estava em poder de três cidadãos próximo ao igarapé Sonrisal, na estrada de Alter do Chão.

Eles derrubaram várias árvores ao redor do igarapé até a estrada e estavam ateando fogo no mato. O fato chamou a atenção de populares que denunciaram o caso aos agentes de fiscalização.
Eles não apresentaram a documentação necessária para o desmatamento do local e nem a documentação de posse do terreno. Foram notificados e devem comparecer à Secretaria Municipal de Meio Ambiente para prestarem maiores esclarecimentos.


CCOM/PMS - com informações da Semma

sexta-feira, dezembro 04, 2015

Operação investiga esquema de desmatamento ilegal e fraude em sistemas florestais

Grandes empresas exportadoras de madeira atuando no Pará são suspeitas de usar créditos florestais para “esquentar” madeira ilegal


Foi deflagrada hoje (4) uma operação do Ministério Público Federal, Polícia Federal, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Justiça Federal que investiga um esquema de desmatamento ilegal e fraude em sistemas florestais no qual estão envolvidas algumas das maiores empresas exportadoras de madeira do Pará. A operação envolve buscas e apreensões em 41 endereços ligados a cinco empresas no Pará, São Paulo e Curitiba. Duas pessoas tiveram prisões preventivas decretadas, outras 16 ficarão em prisão temporária e 10 serão conduzidas coercitivamente para prestar esclarecimentos. Também houve busca e apreensão na sede do Instituto de Terras do Pará (Iterpa), porque há suspeita da participação de uma servidora nas fraudes.

 A operação faz parte de uma investigação sobre esquema que faz a chamada lavagem de madeira. Análises de dados dos sistemas florestais e escutas telefônicas forneceram provas importantes para os investigadores. Nesse tipo de esquema, a madeira retirada em desmatamentos ilegais na Amazônia entra nos sistemas de controle da comercialização de produtos florestais por meio de fraude em planos de manejo aprovados pelo poder público, geralmente em nome de laranjas. Comprada por grandes empresas exportadoras, a madeira derrubada ilegalmente é vendida com aparência de legalidade para compradores no exterior.
  
Cada plano de manejo aprovado pode comercializar quantidades determinadas de madeira, os chamados créditos florestais. Nos planos usados para esquentar madeira ilegal, os créditos são usados apenas para justificar a compra e a venda de madeira ilegal. No caso da operação Tabebuia (referência ao nome científico do ipê, tabebuia serratifolia) o esquema começou a ser desvendado quando o Ibama identificou uma grande concentração de ipê e maçaranduba, duas madeiras nobres, em quantidade acima de 50% em um plano de manejo aprovado. A concentração contraria os dados científicos sobre a dispersão dessas espécies na floresta amazônica.